home notícias Gestão
Voltar Voltar
09/02/17
Associação Médica Brasileira debateu problemas do setor
Ministro da Saúde explicou mudanças no sistema de pagamentos do SUS. Ricardo Barros vai promover descentralização dos recursos
da redação

O ministro da Saúde Ricardo Barros marcou presença na sede da Associação Médica Brasileira (AMB), em São Paulo, para discutir, entre outros tópicos, os problemas de subfinanciamento da saúde. Estiveram também presentes na reunião o presidente da AMB, Florentino Cardoso, presidentes das Sociedades de Especialidades e Federadas da AMB. 

O ministro reafirmou a disposição para contribuir em projetos de Estado para área da Saúde. Ressaltou o papel, como engenheiro, de dar aos médicos brasileiros condições adequadas de trabalho (insumos, equipamento e estrutura) para que a população possa ter acesso à saúde de qualidade.

Dentre as perguntas feitas pelos médicos presentes, um dos destaques foi a preocupação com atrasos nos pagamentos dos salários, situação que chega a níveis críticos, com mais de seis meses de atraso, em algumas cidades, apesar de receberem os recursos do ministério em dia. Em resposta, o ministro afirmou que o sistema de pagamentos e transferência de recursos para os municípios vai mudar. “Hoje, no SUS, o dinheiro é repassado, o que for feito está feito, ninguém tem que prestar contas, não tem responsabilidade, mas passará a ter” afirma o ministro. Ricardo Barros afirmou que exigir a comprovação de pagamento dos serviços prestados vai ser um dos mecanismos de controle dos parceiros do SUS.

Ainda segundo o ministro, no modelo de descentralização dos recursos o Ministério da Saúde repassa 80 bilhões para estados e municípios executarem os serviços de saúde. A crise dos estados e municípios provocam distorções que afetam o sistema e os profissionais. Os estados e o municípios que não repassarem os recursos que recebem adequadamente também terão que ser responsabilizados. Hoje não há ônus para nada, explicou Ricardo Barros. 

Florentino Cardoso, presidente da AMB, ressaltou a disposição da entidade para trabalhar em prol de políticas de Estado para melhorar a saúde, medicina e o médico. Também reafirmou o apoio a medidas que ajudem o SUS a ser mais eficiente e transparente, condição fundamental para melhorar a utilização dos recursos e consequentemente a qualidade dos serviços à população. “Que consigamos trabalhar cada vez mais em conjunto, pensando em conjunto, para oferecer o que temos de melhor para a população”, afirmou o presidente. 



PUBLICIDADE

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades do Diagnosticoweb em seu e-mail

agenda

facebook

© Copyright 2012, Diagnósticoweb . Todos os direitos reservados.