home notícias Gestão
Voltar Voltar
08/08/17
Cresce interesse por acreditação entre instituições do Norte e Nordeste
Pernambuco e Bahia são os dois estados que já contam com instituições de saúde acreditadas
Da redação

Destino preferido de turistas brasileiros e estrangeiros, conforme apontam pesquisas do Ministério do Turismo, as regiões Norte e Nordeste perdem para outras cidades brasileiras quando o quesito é o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) das Nações Unidas. Dos 5.565 municípios que estão no ranking do IDH, os 100 últimos colocados pertencem às duas regiões. Em meio a esses dois extremos, instituições de saúde do Norte e Nordeste têm dado um importante passo rumo à qualidade e segurança: a busca e a conquista da acreditação internacional – espécie de selo de excelência –, se igualando aos mais renomados hospitais do Brasil e do mundo, que são referência em qualidade e segurança na área da saúde.

Pernambuco e Bahia são os dois estados que já contam com instituições de saúde acreditadas pela Joint Commission International (JCI), maior e mais antiga agência verificadora da qualidade em saúde do mundo, que tem como associado exclusivo no Brasil o Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA). São elas: o recém-acreditado Hospital Cárdio Pulmonar (BA); o Serviço de Referência Nacional em Filariose do Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães (PE), da Fundação Oswaldo Cruz, a Fiocruz; o Hospital Memorial São José (PE); o S.O.S Vida (BA); o Hospital Santa Joana (PE) e o Real Hospital Português de Beneficência (PE). Outras cinco instituições também estão se preparando para obter o conceituado selo de acreditada JCI: Núcleo de Oncologia da Bahia (BA), Hospital Geral de Mamanguape (PB), Hospital Porto Dias (PA), Hospital da Saúde da Mulher (PA) e Hospital Samel (AM).

“A região Nordeste percebeu a importância da acreditação internacional na gestão de seus processos e na maior valorização de seus colaboradores e profissionais, que passaram a apresentar um importante diferencial, não só no atendimento aos seus clientes nacionais, mas também aos internacionais”, analisa a educadora do CBA, Nancy Yamauchi, ressaltando que até agora nenhum estado do Norte do país possui unidade de saúde acreditada pela JCI.

O médico e coordenador de Acreditação do CBA, José de Lima Valverde Filho, atribui esse cenário ao fato do baixo número de leitos hospitalares – pesquisa do Conselho Federal de Medicina mostra que as regiões Norte e Nordeste têm, respectivamente, 1,18 leitos e 1,3 leitos de UTI por 10 mil habitantes, via SUS  –  o que demandaria um investimento que teria seu custo pouco diluído. No entanto, ele acredita que a vontade dos gestores em promover uma saúde pública com qualidade e segurança pode mudar esse quadro: “Isso depende de vontade política e planejamento a curto, médio e longo prazos, para adequação aos padrões de qualidade e segurança da JCI. No entanto, o CBA oferece um outro produto chamado Fundamentos da Qualidade e Segurança no Cuidado aos Pacientes, que é um primeiro e importante passo para maiores ambições futuras”. Em comum entre a acreditação e o novo produto, conceitos e padrões de boas práticas em saúde.

Para Nancy Yamauchi a expansão da acreditação no Norte e Nordeste tem um motivo: “Os bons gestores de instituições de saúde já sabem o quanto custa a ‘não qualidade’ e como a imagem da instituição perante o mercado e aos seus usuários são fatores imprescindíveis para a construção da confiança que tanto se deseja”. Ideia que é reforçada pelo Diretor Executivo da SOS Vida, Edmundo Ribeiro, que vê na conquista da acreditação um diferencial. “O certificado de qualidade internacional da JCI vem contribuindo para consolidação da posição de liderança da S.O.S Vida nos mercados onde ela atua. Experimentamos um posicionamento diferenciado da nossa marca e nos constituímos em referência de Qualidade no segmento de home care. Conquistamos assento como membro da comissão científica do SIBRAD, filiado a ANHAP; conquista do prêmio benchmarking por cinco anos, além de parcerias estratégicas com instituições de ensino federal e estadual”, destaca.

Diretora Executiva do Hospital Santa Joana Recife, Juliana Vieira Maranhão, aponta que o principal benefício da acreditação JCI foi o desenvolvimento de uma equipe de alta competência, voltada para resultados e melhoria de processos, que asseguram o padrão de qualidade alcançado pelo hospital. Segundo ela, “a acreditação proporcionou uma metodologia de gestão que possibilita conhecimento profundo do negócio; desenvolvimento de estratégias de retenção de talentos; construção de um modelo de relacionamento sustentável com os pacientes, familiares, médicos, fornecedores e fontes pagadoras e, como consequência, o respeito e o reconhecimento da sociedade”.

Paula Amaral, supervisora do Núcleo da Qualidade e Segurança do Paciente do Núcleo de Oncologia da Bahia (NOB), que contratou os serviços do CBA para a melhoria da qualidade e segurança assistencial rumo à acreditação internacional, diz que já percebe benefícios com o processo. “A acreditação surgiu como uma ferramenta de gestão que nos proporcionou implantar e melhorar processos clínicos e não clínicos, desenvolver profissionais, fazer uma mudança progressiva e planejada da cultura organizacional e trabalhar as boas práticas, garantindo a melhoria da qualidade da assistência prestada e na segurança dos clientes externos e internos”.



PUBLICIDADE

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades do Diagnosticoweb em seu e-mail

agenda

facebook

© Copyright 2012, Diagnósticoweb . Todos os direitos reservados.