home notícias Gestão
Voltar Voltar
06/07/15
Médico oncologista é julgado por diagnosticos falsos nos EUA
Libanês Farid Fata acumulou fortuna de aproximadamente U$ 35 mi ao encaminhar pacientes saudáveis para tratamentos desnecessários de quimioterapia
Da redação

Um médico médico libanês de 49 anos, que atende em Detroit, cidade mais populosa do estado norte-americano de Michigan, nos EUA, declarou-se culpado esta semana pela realização de diagnósticos falsos e por ter encaminhado pacientes saudáveis para tratamentos desnecessário de quimioterapia e radioterapia - prática conhecida como overuse - financiados pelo Estado. Agora, Farid Fata terá de responder na Justiça por 13 crimes de fraude médica, podendo ser condenado a mais de 175 anos de prisão. Com informações da NBC News e Detroit Free Press.

No tribunal, Fata confessou ter lucrado ao encaminhar pacientes saudáveis para tratamentos de câncer no final de 2013. No entanto, a prática criminosa teria começado em 2010, quando um paciente foi diagnosticado com câncer de sangue raro e, após passar por três semanas de tratamento intensivo, buscou a opinião de outro médico, que terminou por descobrir que nunca teve câncer.

A audiência no Tribunal Federal de Detroit que irá determinar o futuro do médico aconteceu na manhã desta segunda-feira (06) e poderá seguir por pelo menos quatro dias. As vítimas, ex-pacientes do médico oncologista que possui várias clínicas distribuída pelo subúrbio de Detroit, irão testemunhar sobre o “golpe” que durou quase três anos e rendeu milhares de dólares ao americano. Nesse período, Fata acumulou uma fortuna de aproximadamente 35 milhões de dólares, conforme informações do jornal Detroit Free Press. 

“Fata administrava quimioterapia a pessoas que não precisavam, envenenando-as e dizendo-lhes que tinham câncer, quando na verdade elas não tinham”, afirmou a procuradora do Ministério Público Barbara McQuade. “Pensar que um médico possa enganar um paciente dessa forma somente para ganhar dinheiro é chocante. É o caso mais chocante que já vimos”, completou McQuade. Pelo menos uma paciente morreu devido ao tratamento desnecessário. Fata poderá pegar uma pena que equivale à prisão perpétua e uma multa de 750 mil dólares.



PUBLICIDADE

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades do Diagnosticoweb em seu e-mail

agenda

facebook

© Copyright 2012, Diagnósticoweb . Todos os direitos reservados.