home notícias Mercado e Negócios
Voltar Voltar
13/08/13
Clientes de planos de saúde usam 10,5% mais serviços
Dados da Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde) reforçam o argumento por reajustes maiores; em 2013, teto já foi o mais alto em 8 anos
iG

Os clientes das grandes operadoras de planos de saúde – que respondem por mais de um terço do mercado – usaram mais os serviços médicos e odontológicos em 2012 do que no ano anterior. Ao todo, foram 371 milhões de procedimentos como consultas e exames, ou 10,5% a mais do que em 2011.

O aumento ocorre depois de um ano em que a carteira de clientes dos grandes grupos disparou e cresceu 11,5% – de 13 milhões em 2010 para 14,2 milhões em 2011 –, bem acima dos 6,8% do setor como um todo. No ano passado, entretanto, a alta foi mais tímida: 2,5%.

Os dados serão divulgados nesta terça-feira (13) pela Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde), que reúne os 17 maiores grupos do setor, responsáveis por 31 operadoras e 24,3 milhões dos 66,5 milhões de beneficiários do País. Ao todo, as empresas gastaram R$ 30,1 bilhões para bancar o tratamento dos clientes, 18,5% a mais do que em 2011.

A receita do setor em 2012 foi de R$ 37,2 bilhões, 17% acima de 2011. A despesa total, que inclui, por exemplo, gastos com folha de pagamento, foi de R$ 36,1 bilhões, 18,4% acima de 2011.

A Fenasaúde considera que tem havido aumento acelerado dos custos bancados pelas operadoras – o que justificaria aumentos maiores nas mensalidades.

“A sociedade e as operadoras de planos e seguros de saúde devem experimentar um considerável aumento nas despesas com assistência médica no curto prazo, contribuindo para o aumento da inflação”, informa o documento divulgado nesta terça-feira (13).

Neste ano, o teto de reajuste das mensalidades dos planos individuais autorizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) foi o mais alto em oito anos: 9,04% , 2,45 pontos acima da inflação. Também houve alta expressiva nos planos coletivos menores. Segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), entre os contratos com até 30 beneficiários o aumento foi de 20%, em média.

Internações e exames a mais - As internações são minoria entre os 371 milhões de procedimentos realizados em 2012, mas foram o tipo que em 2012, de acordo com os dados da Fenasaúde: 22,8% a mais do que em 2011, ou 1,9 milhão.

Também subiram acima da média de 10,5% as terapias, que contabilizaram 15,3 milhões de ocorrências ou 11% a mais. Procedimentos odontológicos aumentaram 10%, para 41,5 milhões.

Além disso, os profissionais de saúde têm exigido mais exames – em média, cada paciente teve de fazer 14, ou 7% a mais por consulta realizada, o que significou a realização de 194,7 milhões de procedimentos.

A entidade também argumenta que o custo médio dos procedimentos aumentou. Cada exame saiu por R$ 442 para as operadoras, em média, 26% a mais do que em 2011. As consultas ficaram 20% mais caras e os atendimentos ambulatoriais, 17,3%. As terapias custaram 22,4% a mais para os planos, em média.

*As informações são do iG.



PUBLICIDADE

Mais lidas


    Warning: mysql_num_rows() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/diagnosticoweb/www/noticia-interna.php on line 309

    Warning: mysql_free_result() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/diagnosticoweb/www/noticia-interna.php on line 322

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades do Diagnosticoweb em seu e-mail

agenda

facebook

© Copyright 2012, Diagnósticoweb . Todos os direitos reservados.