home notícias Mercado e Negócios
Voltar Voltar
20/10/11
Empresário envolvido com importação de lixo hospitalar presta depoimento à PF
Tecido encontrado nos galpões da companhia é semelhante ao material apreendido pela Receita e Anvisa no Porto de Suape
Alex Rodrigues, da Agência Brasil

Brasília - Dono da empresa pernambucana envolvida com a importação de lixo hospitalar norte-americano, o empresário Altair Teixeira de Moura prestou depoimento à Polícia Federal (PF) em Caruaru (PE), na tarde desta quarta-feira (19).

 

Moura é dono da companhia Na Intimidade, que funciona com o nome fantasia Império do Forro de Bolso. Uma loja e dois galpões da empresa em Santa Cruz do Capibaribe, Toritama e Caruaru foram interditados esta semana. Nos locais foram encontradas toneladas de tecido com a identificação de hospitais norte-americanos e manchas que podem ser de sangue.

 

As autoridades investigam se o material é parte da carga dos seis contêineres que, segundo a Receita Federal, a Império do Forro recebeu desde o início do ano e que passaram pela alfândega brasileira sem ser inspecionada.

 

O tecido encontrado nos galpões e na loja da companhia é semelhante às mais de 46 toneladas de lençóis, fronhas, toalhas de banho, batas, pijamas e roupas de bebês encontradas nos dois contêineres que a Receita Federal e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) apreenderam no último dia 14, no Porto de Suape.

 

Além de ser proprietário da Império do Forro, Moura aparece, na internet, como responsável e contato de outra empresa importadora de tecidos também instalada em Santa Cruz do Capibaribe, a Forrozão dos Retalhos. De acordo com o cadastro de empresas importadoras disponível no site do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, a Forrozão importou tecido dos Estados Unidos entre o2001 e 2009. Já a Império do Forro começou a operar em 2009.

 

A PF entrou no caso na última segunda-feira (18), após o Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco requisitar a abertura de inquérito para investigar a importação do lixo hospitalar. A procuradora da República Carolina de Gusmão Furtado também abriu uma investigação administrativa para decidir se cabem medidas cíveis ambientais. Já o Ministério Público do Trabalho investiga as denúncias de que, além de não fornecer equipamentos de proteção individual aos seus empregados, a Império do Forro empregava crianças.



PUBLICIDADE

Mais lidas


    Warning: mysql_num_rows() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/diagnosticoweb/www/noticia-interna.php on line 309

    Warning: mysql_free_result() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/diagnosticoweb/www/noticia-interna.php on line 322

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades do Diagnosticoweb em seu e-mail

agenda

facebook

© Copyright 2012, Diagnósticoweb . Todos os direitos reservados.