home notícias Mercado e Negócios
Voltar Voltar
02/09/15
O IHI e as boas e baratas iniciativas pela melhor saúde
Em agosto, o Einstein realizou o 1º Forum Latino Americano de Qualidade e Segurança na Saúde em parceria com o IHI
Da redação
O setor da saúde corre para atingir a melhor qualidade e os menores custos com segurança e bom atendimento. Oficialmente, essa grande corrida da saúde começou com Dr. Donald Berwick e um grupo de pessoas comprometidas em redesenhar o sistema de saúde americano nos anos 1980. A ideia era criar um sistema sem erros, sem desperdício, sem demoras e sem custos insustentáveis. Em 1991, surgiu o Institute for Healthcare Improvement (IHI), cuja missão é melhorar a saúde e os sistemas de saúde ao redor do mundo.

Em 2013, o Hospital Israelita Albert Einstein tornou-se o primeiro parceiro do IHI na América Latina por ter encontrado naquela missão, também a sua razão de ser. O Einstein, fundado há 60 anos, não só tornou-se o maior marco de qualidade em saúde e medicina na América Latina (segundo a revista América Economia), como um atuante personagem dentro do cenário da saúde brasileira no que diz respeito ao pioneirismo para discutir tecnologias, custos e segurança do paciente.

À essa tríade de experiência do cuidado, saúde populacional e redução de custos per capita o IHI chamou Triple Aim e hoje o Einstein vem sendo o seu grande propagador no Brasil. 

Em agosto, o Einstein realizou o 1º Forum Latino Americano de Qualidade e Segurança na Saúde em parceria com o IHI, tendo presente o Dr. Don Berwick, em sua primeira vez no país. O evento reuniu 1700 pessoas, de seis países. Talvez nunca se tenha visto reunidos no Brasil tantas pessoas imbuídas de uma única preocupação: melhorar a qualidade da saúde ofertada ao indivíduo, sem sobrecarregar o sistema e com sustentabilidade para os players do setor. Isso, afinal de contas, é o que prega o Triple Aim.

Em 19 palestras, foram apresentados temas e cases como os impactos ambientais para a sustentabilidade da saúde, a função dos líderes no desenvolvimento de uma cultura de melhoria contínua e os princípios do Lean Six Sigma aplicados ao departamento de emergências, só para citar rapidamente.

Em uma das aulas, Pedro Delgado, diretor do IHI para Europa e América Latina, Dr. Paulo Borem, coordenador do Sistema Unimed Brasil e o Prof. Ademir Petenate, do departamento de estatística da Unicamp, debruçaram-se sobre como mensurar e usar os dados dentro dos hospitais como ferramenta para melhorias. Um dos exemplos citados foi o Programa do Parto Adequado, que reúne mais de 30 hospitais num programa para a redução de cesáreas na rede privada brasileira, onde os hospitais não possuíam dados possíveis de comparação entre si. “Ninguém sabe onde é o norte de olhos fechados” chamou a atenção Delgado.

Mesmo sabendo que profissionais da saúde em geral não são afeitos à estatística, Borem e Petenate conclamaram o grupo a pensar como usar os números usando uma extrovertida dinâmica onde pessoas eram escolhidas na plateia para, usando uma espátula e uma caixa com contas, separar quantos “partos vaginais” teriam feito na instituição fictícia. “Precisamos de definições úteis e não perfeitas” lembrou o Prof. Petenate ao definir para que coletar e processar os dados.

Escutar perspectivas e ideias
Dentro do evento, o Dr. Claudio Lottenberg, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, recebeu um grupo seleto para o CEO Day, deixando claro que a missão desse fórum, e dos próximos que virão, é o de compartilhar soluções e estabelecer compromissos e lembrou que a missão do Einstein é trabalhar a questão da saúde para a sociedade e não só para quem procura a Instituição. “Responsabilidade está no nosso DNA e vamos continuar a sensibilizar e inspirar pessoas”, comentou ao final da sua palestra de abertura.

Com a presença do ex-ministro da saúde José Gomes Temporão e de representantes de hospitais, seguradoras e indústria, Maureen Bisognano, presidente do IHI lembrou que o mundo todo converge para os mesmos desafios: envelhecimento, doenças crônicas, segurança, cuidado centrado no paciente, transparência e tecnologia. E os maiores problemas enfrentados dizem respeito ao tipo de cuidado: atenção centrada no paciente, eficiência e desperdício. 

“A estrutura responde por apenas 10% da nossa saúde, o resto é o meio ambiente no qual o indivíduo está inserido” comentou Maureen ao falar sobre sua visita ao Programa Einstein na Comunidade de Paraisópolis (PEC). “O Einstein está levando a serio esse desafio ao colocar, ao lado do ambulatório tradicional, uma estrutura que cuida integralmente das famílias, oferecendo assistência social, esportes, lazer e cultura”.

Parto adequado
Para terminar o encontro do CEO Day, Pedro Delgado apresentou o Programa Parto Adequado que visa reunir todo o sistema em torno do objetivo de chegar à taxa de 40% de partos vaginais na rede privada, até setembro de 2016. Basicamente, o projeto encampado pelo IHI, Einstein e ANS propõe pioneirismo, protagonismo e inovação. Tais quais vários dos cases apresentados durante o Fórum, o Programa Parto Adequado, que reúne hoje 27 hospitais privados e quatro públicos de todo o país tem muitos desafios pela frente, mas já vem focando, com bons resultados, na mudança do modelo assistencial, na mudança do modelo de financiamento (fee for service), na construção de parcerias e diálogo com todo o setor e aquilo que costuma ser o maior de todos os desafios, a mudança de comportamento e cultural.

Simplicidade e atenção básica
Em sua palestra magna, Don Berwick fez questão de enfatizar a importância das mudanças de comportamento citando uma frase que pode ser um mantra do IHI “Move knowledge, not people”. Essas mudanças têm uma mira certa: a descomplicação e a simplicidade. Exemplos como o uso da telemedicina em países com menos recursos foram dados a todo o momento. No Quênia, 10 mil crianças passam por exames de visão sem irem ao médico; seus professores, na escola, receberam um celular com um aplicativo especial para o exame de vista, que é posteriormente enviado para as clínicas.

Essas iniciativas fazem parte do novo projeto do IHI intitulado “100 Milhões de vidas mais saudáveis” que trata de reunir inovações espalhadas pelo mundo que podem ser replicadas em comunidades e populações semelhantes. A Dra. Somava Stout, líder executiva do IHI e o Dr. Paulo Borem apresentaram casos de sucesso que mostram a importância da atenção básica e primária em iniciativas na Guiana e em Guarulhos, de forma que, não importa onde você está, mas as boas intenções que cercam aquela comunidade.

Mais disso pode ser conhecido na edição brasileira de Pursuing the triple aim, livro editado pelo IHI que se tornou um dos melhores retratos sobre qualidade e segurança dentro de hospitais com sete cases de hospitais americanos.
A edição brasileira, prefaciada por Claudio Lottenberg conta com um oitavo case, que trata do próprio Einstein, sua história pioneira de qualidade, o Projeto Coluna e introduzindo o Projeto do Parto Adequado.


PUBLICIDADE

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades do Diagnosticoweb em seu e-mail

agenda

facebook

© Copyright 2012, Diagnósticoweb . Todos os direitos reservados.