home notícias Mercado e Negócios
Voltar Voltar
24/09/14
Receita de planos de saúde cresce 17,2% no 1º semestre
Marcio Coriolano, presidente da FenaSaúde: evolução do número de beneficiários é o principal responsável pela alta das receitas
Folha de S. Paulo

As empresas de planos de saúde registraram receita de R$ 23,9 bilhões no primeiro semestre de 2014, segundo dados da Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), que incluem a movimentação das companhias que são associadas à entidade. O número representa um avanço de 17,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. As informações são da Folha de S. Paulo.

A principal responsável pela alta das receitas é a evolução do número de beneficiários dos planos de saúde. No mesmo período, no entanto, as despesas assistenciais dos grupos cresceram em um ritmo maior: 20,5%. De acordo com Marcio Coriolano, presidente da entidade, o aumento das despesas tem ocorrido de forma desproporcional à entrada de beneficiários, e isso tem estreitado as margens das empresas.

A taxa de sinistralidade referente aos planos médicos das operadoras associadas também aumentou: passou de 81% no primeiro semestre de 2013 para 83,2% de janeiro a junho deste ano. Segundo a FenaSaúde, as 26 empresas ligadas à FenaSaúde haviam constituído R$ 12,3 bilhões em reservas técnicas até junho de 2014, e os recursos são mantidos para garantir a solvência - capacidade de pagamento dos compromissos assumidos com os beneficiários.

Protesto - Segundo levantamento do Instituto de Estudos de Protestos de Títulos, em agosto, o número de títulos protestados na cidade de São Paulo diminuiu 10,8%, em comparação com o mês de julho. No total, foram 56.437 documentos. Em relação a agosto do ano passado, a retração chegou a 13,4%. Já os cancelamentos de protestos avançaram 5,9% na comparação mensal, segundo a pesquisa.

As duplicatas representaram o maior volume do total de protestos, com 74,9%. Elas somaram 42.283 documentos em agosto. No mês anterior, haviam sido 52.926. Em seguida, ficaram os cheques, com 7,7%, e as notas promissórias, com 5,4%.

Números - Foram 56.437 títulos protestados em agosto na cidade de São Paulo, o que representa uma queda de 10,8% ante julho. Cerca de 63.290 havia sido o registrado em julho deste ano.  74,9% dos protestos de agosto foram de duplicatas; 7,7% representaram os cheques; e 5,4% eram as notas promissórias.



PUBLICIDADE

Mais lidas


    Warning: mysql_num_rows() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/diagnosticoweb/www/noticia-interna.php on line 309

    Warning: mysql_free_result() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/diagnosticoweb/www/noticia-interna.php on line 322

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades do Diagnosticoweb em seu e-mail

agenda

facebook

© Copyright 2012, Diagnósticoweb . Todos os direitos reservados.