home notícias Tecnologias
Voltar Voltar
13/11/14
Aplicativo digital de bolso pode identificar centenas de doenças
Desenvolvido por engenheiros e pesquisadores da DMI, dispositivo portátil rHEALTH é capaz de diagnosticar analisando apenas uma única gota de sangue
Exame

São Paulo - O rHEALTH, um dispositivo portátil capaz de diagnosticar centenas de doenças – da pneumonia à ebola – analisando apenas uma única gota de sangue, pretende revolucionar a medicina. O aparelho, criado por engenheiros e pesquisadores da DMI, uma empresa da região de Boston, nos Estados Unidos, é o mais próximo que já se chegou do Tricorder, o fictício dispositivo de diagnóstico instantâneo dos filmes e seriados “Jornada nas Estrelas”. As informações são da Exame.

O projeto do rHEALTH foi financiamento pela NASA, com apoio do Instituto Nacional de Saúde americano e a Fundação Bill e Melinda Gates, e a proposta é utilizá-lo para conferir a saúde dos astronautas à distância. 

O grupo da DMI foi, nesta semana,, vencedor do Nokia Sensing XChallenge, premiação da XPrize Foundation voltada para projetos que utilizam sensores eletrônicos no setor de saúde.

Funcionamento - O rHEALTH funciona da seguinte forma: o usuário precisa fazer um pequeno furo no dedo com uma agulha e deixar uma gota de sangue cair em um receptáculo. Lá, o sangue irá se misturar às tiras reagentes nanoscópicas antes de ser absorvido por um finíssimo tubo em espiral.

Em seguida, um laser varre o tubo transparente e os sensores detectam as variações na luz que atravessa a amostra de sangue para identificar mudanças de coloração nas nanotiras reagentes. As mudanças indicarão a dosagem de determinadas substâncias no sangue. Caso esse exame fosse realizado em um laboratório convencional, além de mais caro e demorado, exigiria 1.500 vezes mais sangue.

Sensores adesivos - O rHEALTH também pode combinar os resultados do exame de sangue com outras informações sobre o paciente, através de um conjunto de sensores desenvolvidos equipe da DMI que são aplicados à pele do usuário, como um Band-Aid.

Os sensores captam informações adicionais, como temperatura corporal e frequência cardíaca. Em seguida, essas informações são enviadas, via Bluetooth, ao rHEALTH ou a um smartphone e os dados são processados por um aplicativo que fará um diagnóstico da saúde do paciente.

De aordo com Eugene Chan, líder do grupo que criou o rHEALTH, o aparelho é confiável para determinar doenças hematológicas, dosar a vitamina D e detectar diversas proteínas que funcionam como marcadores de doenças. Enquanto mais testes são realizados, a equipe da DMI trabalha na ampliação dessa lista e na a complicada fase de transformar protótipos em produtos comerciais.

Modelos - Três modelos diferentes do rHEALTH já são desenvolvidos pela DMI. O modelo maior, do tamanho de uma caixa de sapatos, é destinado principalmente para pesquisas em medicina. Para essa aplicação, ele poderá passar por um processo de aprovação simples e poderá estar à venda em poucos meses.

O modelo intermediário é voltado para as clínicas médicas, hospitais e consultórios. Já o menor. cabe no bolso e é destinado para os consumidores. Ambos terão de percorrer um longo caminho até serem aprovados pela FDA, o órgão americano que regulamenta produtos médicos e alimentos.

Clique aqui e assista ao vídeo em que Eugene Chan explica (em inglês) sobre o funcionamento do rHEALTH:




PUBLICIDADE

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades do Diagnosticoweb em seu e-mail

agenda

facebook

© Copyright 2012, Diagnósticoweb . Todos os direitos reservados.