home notícias Tecnologias
Voltar Voltar
27/05/13
Médicos são contratados por Telefônica Digital
Função dos profissionais é oferecer às operadoras de planos de saúde, hospitais e governo sistemas de gestão à distância para monitorar pacientes, o que pode diminuir custos
Valor Econômico

São Paulo - Este mês, no hospital Albert Einstein (SP), quinze pacientes irão receber telefones celulares da instituição, como parte do tratamento médico. Dentro ou fora do hospital, se o paciente – em especial idosos ou pessoas recém-saídas de uma cirurgia –, precisar de ajuda, precisa apenas acionar o botão de emergência do aparelho. Isso gera uma chamada para uma central de atendimento médico e dispara uma mensagem aos cuidadores e parentes mais próximos, informando a localização do paciente.

O serviço é uma das novidades da empresa Telefônica Digital, braço do grupo espanhol Telefónica, criado há um ano e meio para explorar novos serviços. A meta é ir além das receitas obtidas com o tradicional tráfego de voz e dados. Com a forte competição nos mercados de telefonia fixa e móvel, a redução das tarifas de interconexão e a maior pressão regulatória, as operadoras saem em busca de serviços de maior valor agregado, inclusive em setores não diretamente relacionados às telecomunicações, como a saúde.

Ao lado de Reino Unido e Espanha, no início do ano, o Brasil foi escolhido uma das três operações do grupo para acelerar a implantação dos serviços digitais no mundo. A meta é que a Telefónica Digital responda por receitas de € 5 bilhões em 2015, com uma taxa de crescimento anual de 20%. Em 2012, o grupo Telefónica obteve uma receita global de €62,3 bilhões, com queda de 0,8% em relação a 2011.

Segundo Paulo César Teixeira, diretor-geral do grupo Telefônica no Brasil, não há negócio no mundo hoje que possa prescindir de telecomunicações e enxergamos uma série de oportunidades em várias áreas. Na mira da operadora estão serviços digitais para saúde, finanças, comunicação máquina a máquina (M2M), propaganda no celular e vídeo (TV paga). "As receitas da Telefônica Digital vão crescer mais de 60% neste ano no país e o Brasil vai se tornar a principal operação da divisão no mundo", afirmou.

Médicos também estão sendo contratados para ajudar a Telefônica Digital a atingir seus objetivos. No ano passado, uma equipe de cinco médicos passou a integrar o time de 20 mil funcionários da Telefônica no Brasil. A função dos profissionais é oferecer a operadoras de planos de saúde, hospitais e governo sistemas de gestão a distância para monitorar pacientes, o que pode diminuir custos.

"Médicos são resistentes a novas tecnologias, eles temem que seu conhecimento seja substituído", disse Kátia Galvane, gestora de produtos e negócios de saúde da Telefônica Digital. Kátia, que já atuou como cirurgiã dentista, hoje se dedica a convencer os colegas que a tecnologia vem trazer precisão ao atendimento médico. "Por meio do serviço de gestão de imagens médicas, um especialista de outra cidade pode ajudar no diagnóstico a partir da visualização dos exames, inclusive em 3D."

A Telefônica comprou, no início do ano, a AxisMed, empresa que faz a gestão preventiva da saúde e monitora pacientes crônicos. Agora, segundo Teixeira, eles pretendem entrar com a tecnologia para que a gestão seja feita de forma mais produtiva. Os serviços envolvem a oferta de dispositivos e monitoramento por parte de uma central médica.

*Com informações do Valor Econômico.



PUBLICIDADE

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades do Diagnosticoweb em seu e-mail

agenda

facebook

© Copyright 2012, Diagnósticoweb . Todos os direitos reservados.