home notícias Tecnologias
Voltar Voltar
30/07/12
Novas tecnologias facilitam atendimento em hospitais brasileiros
Além de de evitar que pacientes passem por traumas desnecessários, aplicativos também proporcionam redução de custos
Da Redação

No Brasil, o avanço da medicina aliado à tecnologia já é uma realidade e tem proporcionado mais segurança aos diagnósticos, além de evitar que pacientes passem por situações traumáticas. 

Algumas das novidades são: o uso de um chip que permite medir a pressão intracraniana sem a necessidade de cortes na cabeça, tablets para controlar a medicação de pacientes, tecnologia Kinec – que permite usar os comandos apenas com gestos das mãos –, e aplicativos para smartphone que servem para orientar os pacientes.

Chip – Após passar por uma cirurgia delicada, o cientista e coordenador do Instituto de Estudos Avançados de São Carlos, ligado à Universidade de São Paulo, Sérgio Mascarenhas, 84, desenvolveu um chip que possibilita avaliar a pressão intracraniana sem precisar fazer incisões. Envolto em um recipiente, um chip próximo à cabeça é o suficiente para se registrar informações sobre deformação óssea proporcional à pressão craniana.

Em 2009, o projeto do cientista recebeu ajuda da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Atualmente, já é usado em tratamentos de pacientes com traumatismo cerebral no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. Agora, há a possibilidade de a tecnologia ser usado no Sistema Público de Saúde (SUS), em ambulâncias. A ideia é que a equipe de atendimento possa colher as primeiras informações sobre a vítima dentro do veículo para adiantar e facilitar o trabalho realizado no hospital.

Economia – Além de conforto ao paciente e segurança no diagnóstico, este avanço tecnológico é responsável por uma economia, tanto nos cofres públicos quanto privados. A forma tradicional de intervenção chega a custar entre R$ 20 mil e R$ 40 mil por paciente. Com a nova tecnologia, o valor cai para cerca de R$ 400, no caso de uma incisão mínima para implante do ship. E menos de R$ 1 mil para procedimentos não invasivos.

Kinect – Já na sala de cirurgia, outro avanço. No Hospital da Luz (SP), um telão equipado com a tecnologia Kinect, da Microsoft, que surgiu em videogames Xboxs, permite controlar os comandos apenas com os gestos das mãos. A possibilidade é usada em painéis cirúrgicos onde é possível checar toda a grade cirúrgica e acessar dados dos pacientes. Ao mesmo tempo, outro painel informa os parentes, na sala de espera, sobre todo o procedimento cirúrgico. 

Tablets e smartphones – O atendimento diário também se beneficia das novas tecnologias para controle de medicamentos e redução do risco de erros. No Hospital Paulistano (SP), em vez de escrever em papel, usa-se tablets para avaliar pacientes e prescrever remédios. Ou seja, a medicação é toda programada automaticamente. Já fora dos hospitais, os pacientes também dispõem de aplicativos à disposição através do smartphone que são usados para lembrar o horário dos remédios, por exemplo.

As informações são da Isto É Dinheiro.

Leia mais:
>> Nova tecnologia para centros cirúrgicos será apresentada durante Fórum Saúde Digital



PUBLICIDADE

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades do Diagnosticoweb em seu e-mail

agenda

facebook

© Copyright 2012, Diagnósticoweb . Todos os direitos reservados.