home notícias Tecnologias
Voltar Voltar
23/09/16
Chan Zuckerberg Initiative promete 3bilhões de dólares para investigação médica na próxima década
O fundador do Facebook e sua esposa disseram que seu objetivo final é curar, prevenir ou controlar todas as doenças, até ao final do século
Filipe Sousa

O fundador do Facebook Mark Zuckerberg e sua esposa Priscilla Chan prometeram US $ 3 bilhões (R$ 6,7 bilhões) para financiar a investigação médica na próxima década.
Numa conferência de imprensa em San Francisco, eles disseram que seu objetivo final era "curar, prevenir ou controlar todas as doenças, até ao final do século".
Os fundos serão distribuídos pela Chan Zuckerberg Initiative, que eles criaram em dezembro de 2015.

Zuckerberg disse que, actualmente, se gasta 50 vezes mais dinheiro em tratamento de pessoas que estão doentes do que na cura das doenças que iria impedi-los de ficar doentes, e acrescentou que isso precisava mudar.
Ele delineou três princípios que irão orientar os investimentos do casal: unir cientistas e engenheiros; construir ferramentas e tecnologias que promovam a investigação; e fazer crescer o movimento para financiar mais ciência em todo o mundo. Chan acrescentou que já destinaram US600 milhões para a criação de um novo centro de pesquisa chamado BioHub, que reunirá engenheiros, cientistas da computação, biólogos, químicos e outros inovadores.
O BioHub inicialmente trabalhará em dois projectos: Atlas Cell, um "mapa", que descreve os diferentes tipos de células principais que controlam os órgãos do corpo; e Infectious Disease Initiative, que irá tentar desenvolver novos testes e vacinas para combater o HIV, Ebola, Zika e outras doenças novas.

Zuckerberg alertou que levará anos até atingir a criação de novos tratamentos médicos e ainda mais tempo antes de poderem ser aplicados aos pacientes.

Esta parece ser uma tendência global. A unidade DeepMind do Google está trabalhando com o NHS para encontrar uma maneira de usar computadores para diagnosticar doenças com maior precisão. A IBM e o MIT anunciaram um tie-up no início desta semana para desenvolver sistemas baseados em Inteligência Artificial que poderiam ajudar os médicos a melhorar o tratamento de pacientes idosos e deficientes. Poucos dias antes deste anúncio, a Microsoft afirmou que pretende "resolver" o câncer usando ferramentas de inteligência artificial.

O co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que financiou sua própria pesquisa em saúde através da Fundação Bill & Melinda - com resultados notáveis na luta para eliminar a malária -, esteve presente no evento para elogiar o anúncio. Ele descreveu como "muito ousado e ambicioso", mas acrescentou que "precisamos desesperadamente esta ciência". Gates disse a seus anfitriões estavam fazendo um "compromisso incrível de pesquisa e desenvolvimento". 

Um especialista disse que lidar com todas as doenças é "claramente ambicioso" e que "o anúncio Chan Zuckerberg é incomum em tamanho, mas está em sintonia com as tendências entre os maiores doadores de hoje que querem alcançar mudança transformacional, preferem financiamento da prevenção em vez da cura e tendem a investir em causas e organizações com as quais eles têm conexões anteriores", comentou o Dr. Beth Breeze, diretor do centro para a filantropia da Universidade de Kent.

Apesar do montante envolvido, alguns críticos questionam se 3Bilhões de dólares na próxima década serão suficientes para cumprir os objeticos, principalmente após analisarem os orçamentos de algumas instituições, como a britânica Cancer Research UK deve que gastar mais nesse tempo apenas no combate ao câncer. Seu orçamento anual de pesquisa é atualmente de US$ 0.5bi. A Wellcome Trust - a maior organização de caridade médica do mundo caridade - investe significativamente mais: US$6,5 bilhões nos próximos cinco anos. Ou a agência de pesquisa médica dos EUA, National Institutes of Health, que gasta mais de 32 bilhões de dólares a cada ano.



PUBLICIDADE

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades do Diagnosticoweb em seu e-mail

agenda

facebook

© Copyright 2012, Diagnósticoweb . Todos os direitos reservados.